int_marcelo

A série de reportagem “Nossos heróis” conta hoje a história do mecânico Luiz Marcelo Lara que lutou contra a bebida e as drogas e hoje está “limpo”, revigorado e de volta ao ceio de sua família.

Natural da capital paulista, Marcelo veio morar em Piracicaba aos 16 anos, quando seu pai se aposentou. A adaptação na cidade foi tranquila, pois grande parte da família já morava na cidade.

Lara conta que sua profissão o acompanha praticamente do berço. “Meu pai era mecânico e desde criança trabalhei com isso. Aqui em Piracicaba trabalhei na Viação Piracicabana e também tive a minha própria oficina especializada em carros de corrida. Foram 20 anos de oficina la no bairro da Paulista”, lembra.

Eint_2m 2009 começou e estudar engenharia e com a experiência foi convidado a dar aulas no Senai, mas a crise e um acidente no braço mudaria o bom rumo que sua vida estava tomando. “Quase perdi meu braço, fique internado em São Paulo e conseguiram me recuperar”, recorda.

Recuperado, voltou a estudar, dessa vez Mecatrônica. Ali conheceu o Sérgio (eletricista) que apresentou a Via Ágil e começou a trabalhar a empresa. Mas aí veio a crise conjugal e a separação. “Perdi o chão. De uma hora para outra não tinha família, não tinha casa, não tinha mais nada. Foi ai que recorri à bebida”, se lamenta.

O Álcool foi tomando conta aos poucos de sua vida. Ele preenchia o vazio de seu peito. “Só pensava em beber. Era cachaça, cerveja e o que viesse pela frente. Ai conheci a cocaína. Me int_3perdi de vez”.

Trancou a faculdade e chegou ao fundo do poço. “Não podia mais viver assim, pensei até em tirar minha vida. Foi ai que recorri a minha mãe, conversei também com a Dra. Angelina (Médica do trabalho). Não tinha mais vontade de fazer nada”.

Marcelo entendeu e aceitou o seu problema. Se internou em um clínica de recuperação (Pro Paz). “No começo foi difícil, são várias as fases de desintoxicação. Você tem alucinação, não dorme ou dorme demais. Perde totalmente a noção do tempo”, explica.

Foram seis meses de internação total e depois mais sete meses trabalhando e dormindo na clinica. “Não queria sair de lá. Tinha medo de voltar para aquele mundo que deixei para trás”.

Marcelo lembra com emoção do dia em que sua vida voltou a ser feliz.”Minha esposa foi até a clinica e me pediu para voltar para casa, para ela e para minha filha de 11 anos. Não pensei duas vezes. Voltei para meu eixo”.

Voltou a estudar, agora faz licenciatura em Física, está com sua família e só tem a agradecer a todos que o apoiaram. “A minha família foi fundamental nesse processo. A Via Ágil também, sempre tive apoio e compreensão da empresa, sempre acreditaram que eu poderia vencer essa batalha”.

Marcelo finaliza com um recado. “Por mais difícil que pareça, tem cura. Nunca desita. O primeiro passo é aceitar que você tem o problema. Não ter vergonha. Siga em frente, lute. Eu consegui, você também consegue”, finaliza.